Brasileiros sofrem na rodada da Styria

Nenhum deles marcou pontos na segunda rodada da F-2 e F-3

Siga-nos no Instagram

Problemas dos mais variados impediram os cinco pilotos brasileiros que disputam a F-2  (foto de abertura/Dutch Photo Agency) e a F-3, categorias preliminares do calendário da F-1, de marcar pontos na segunda rodada do ano, disputada neste fim de semana no circuito de Spielberg e que complementaram a programação do GP da Styria. No próximo fim de semana Enzo Fittipaldi, Felipe Drugovich, Gustavo Samaia, Igor Fraga e Pedro Piquet voltam a atuar na Hungria, onde acontece a terceira etapa da temporada.

Felipe Drugovich é o melhor brasileiro na F-2 e já venceu uma prova (Dutch Photo Agency)

Na F-2 o Brasil está representado por três estreantes na categoria: Felipe Drugovich, Gustavo Samaia e Pedro Piquet. O paranaense Drugovich é quem está melhor na classificação: é o oitavo (*) na tabela de pontos, cortesia dos seus resultados na primeira rodada: quatro pontos oitavo lugar na corrida 1 e 17 da vitória e volta mais rápida na corrida 2. Neste fim de semana o superaquecimento dos freios e um acerto equivocado impediram resultados melhores que o 13º nas duas provas.

Este ano Pedro Piquet corre pela Charouz, equipe baseada na República Checa (Charouz)

Pedro Piquet segue se ambientando com a Charouz, equipe checa com boas relações com a Sauber. Gustavo Samaia, que teve participação irregular na temporada de 2019, segue somando quilometragem com o carro da equipe espanhola administrada por Ádrian Campos.

Quilometragem e aprendizado são os objetivos de Gustavo Samaia (Dutch Photo Agency)

Na tabela de pontos do campeonato os três primeiros são o russo Robert Shwastzman (líder dom 48 pontos), o dinamarquês Christian Lundgaard e o inglês Callum Illot (ambos com 43), Sem pontos até agora, Piquet e Samaia aparecem em 19º e 20º, respectivamente, no grid de 22 inscritos. Entre as equipes a italiana Prema, a inglesa UNI-Virtuosi e a francesa ART Grand Prix mostram-se superiores às demais.

Enzo Fittipaldi já soma dois pontos com o nono lugar na primeira rodada (Divulgação)

Na F-3 também temos dois estreantes: Enzo Fittipaldi e Igor Fraga. Dois pilotos rápidos, o primeiro mais arrojado, e o segundo mais calculista, ambos já deram mostras de bom potencial para melhorar ao longo do ano em uma categoria tão ou mais equilibrada que a F-2. Nas provas de classificação é comum cerca de 90% dos 30 pilotos do grid separados por cerca de um segundo. Fittipaldi soma 2 pontos do seu nono lugar na corrida 2 da primeira rodada e Fraga segue prejudicado por um problema crônico que provoca falhas no seu gerenciamento eletrônico do motor do seu carro.

Frio e calculista, Igor Fraga enfrenta problemas com seu equipamento (Dutch Photo Agency)

No campeonato os três primeiros classificados são o australiano Oscar Piastri (44), seguido pelo dinamarquês Frederik Vesti (37,5) e pelo estadunidense Logan Sargeant (34). As italianas Prema e Trident e a inglesa Hitech são as que mais se destacam em uma disputa mais equilibrada que na F-2. Nesta última cada time inscreve dois pilotos enquanto na F-3 cada time participa com três.

(*) Corrigido em 13/07/2020, 1-:05.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.