Triste domingo ensolarado

Marcus Cícero Ramaciotti 24/08/2966 – 5/04/2020

Um domingo de sol que tinha quase tudo para ser legal, cortesia da quarentena forçada que estamos vivendo, entrou para a história como um dia triste para todos que vivem o automobilismo brasileiro, em particular o paulista. A primeira notícia que li nesta manhã explica essa indesejável mudança: Marcus Ramaciotti, o Marcão, o Guerreiro, não está mais entre nós. Lutou, e como seu filho Marcelo contou, venceu a batalha contra o câncer de pulmão que o levou ao hospital. Infelizmente, uma complicação paralela acabou complicando as coisas. À esposa Di Ramacioti e ao filho Marcelo Ramaciotti, meus sentimentos. A todos que o conheceram ou que ouviram falar dele, uma certeza: ele subiu ao andar superior da torre e algum dia nos encontraremos com ele em mais um briefing.

Ramaciotti recuperava-se de uma delicada cirurgia onde lhe foi retirado parte dos pulmões e que, segundo informações do filho Marcelo, permitiu aos seus médicos extrair o câncer que o atormentava há anos. Infelizmente uma infecção hospitalar e uma diverticulite inesperadas provocaram falência múltipa dos seus orgãos e Marcão veio a óbito na manhã deste domingo.

Diante da impossibilidade de uma homenagem presencial em função do regime de quarentena compulsória, a Federação de Automobilismo de São Paulo convida a todos os amigos de Marcus Ramaciotti a postar uma mensagem em seu perfil  hoje, às 21 horas. Será uma forma de demonstrar o carinho e respeito ao presidente do Conselho Técnico e Desportivo Paulista e, mais do que tudo, a um amigo incansável, entusiasta e apaixonado do esporte a motor que nos deixou esta manhã.

W.G.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.