Daniel repete feito do pai e é confirmado pela Ferrari

Entrada da Toyota na Stock Car provoca mudanças na Stock Car

O equilíbrio que caracteriza a Stock Car brasileira poderá ser severamente abalado na temporada do ano que vem, quando a Toyota desembarca oficialmente na categoria na qual a Chevrolet tem reinado absoluta e quase que solitária. Encerrada temporada de 2019, com a conquista do terceiro título consecutivo de Daniel Serra (foto de abertura/Luiz França), engenheiros, equipes e pilotos se movimentam para as 12 etapas de 2020, a primeira delas prevista para acontecer dia 29 de março em Goiânia (GO), quando será disputada a Corrida de Duplas, evento que normalmente conta com a presença de convidados especiais e que marcará a estreia de um novo carro. A ligação da marca japonesa com Fernando Alonso já suscita comentários que o bi-campeão da F-1 poderá ser uma das atrações desse evento.

Categoria equilibrada, Stock Car vai iniciar nova fase em 2020 (Danilo Cardoso/Vicar)

Otimismo é o que não falta no circo da categoria, conhecida pelo equilíbrio das disputas, em especial durante os treinos: não raramente 15 pilotos se classificam com diferença inferior a um segundo, situação vista em pouquíssimos campeonatos em todo o mundo. Ironicamente essa qualidade tem tudo para ser atenuada na primeira fase da temporada: carros novos, motores diferentes e a disputa que Chevrolet e Toyota alimentarão naturalmente são motivos que endossam essa projeção. Este ano os japoneses levaram a melhor na Monster Energy Nascar Cup ao chegar ao título com Kyle Busch.

Kyle Busch venceu a principal categoria da Nascar em 2019 pilotando um Toyota (TRD)

Os carros de 2020 abandonarão a bolha e célula de sobrevivência usadas desde 2010, chassis tubulares originados de um projeto argentino e melhorados pelo engenheiro Gustavo Lehto e a fábrica JL. Esta empresa, controlada pela Família Giaffone, há tempos é a única responsável pelo desenvolvimento dos carros e motores, situação que já deixou de existir: embora ela continue projetando e construindo peças para o modelo Chevrolet Cruze, parte da carroceria do Toyota Cruze está sob responsabilidade da empresa Pavão Design.

Daniel (E) e Chico Serra: filho e pai somam seis títulos na Stock Car (Wagner Gonzalez)

Ainda que câmbio, diferencial, estrutura tubular, freios, rodas e suspensão sejam mantidos para 2020, a parte central do carro será revestida por peças da carroceria original dos dois modelos que entrarão na pista. Para facilitar a construção dos carros as equipes receberão itens como portas e teto para serem montados no chassi atual, decisão que foi considerada mais prática e viável. Com relação aos motores, as equipes ligadas à Chevrolet continuarão usando os atuais, que certamente passarão por extensa e profunda revisão; os times escolhidos pela Toyota receberão novas unidades fabricadas pela Triad, empresa que desenvolve o programa de competições da fábrica japonesa nas categorias ligadas à Nascar e soma mais de 100 vitórias nos três campeonatos disputados. A Pirelli confirmou que os pneus de 2020 serão do composto médio, já usados este ano e fabricados em Campinas; teste comparativos com a opção de composto macio determinou tal escolha. Para 2021 já se conhece mais uma mudança: a caixa de câmbio X-Trac usada atualmente será substituída. Otimistas de plantão apostam na chegada de uma terceira marca, até mesmo de uma quarta, algo que seria mito bem-vindo.

Toyota vai trazer otor desenvolvido pela Triad, empresa norte-americana com bom histórico (TRD)

No ambiente externo às oficinas a movimentação também é marcante. O tri-campeão Daniel Serra foi confirmado na equipe RC-Eurofarma junto com o bi-campeão Ricardo Maurício (2008/2013). A conquista de Serra repetiu o feito de seu pai, Chico Serra, tri-campeão em 199/2000/01) e foi coroada com o anúncio de sua contratação como piloto oficial da Ferrari para as provas de Endurance. Para 2020 o time liderado por Rosinei Campos terá apenas dois carros, consequência de uma revisão da Eurofarma em seu programa esportivo. A decisão afetou diretamente Max Wilson, campeão de 2010, que no fim de semana fez sua última apresentação pela equipe onde entrou em 2009.

Cacá Bueno (E), ao lado de Felipe Fraga, aposta em tempos melhores  (Duda Bairros/Vicar)

Cacá Bueno, outro nome consagrado na Stock Car vê com bons olhos a chegada da Toyota e outras possíveis fábricas à categoria, onde mantém uma equipe em sociedade com William Lube e Duda Pamplona. Penta-campeão (2006/7/8/10/13) e com ampla experiência em provas internacionais de Turismo, ele explica seu otimismo:

“A participação de fábricas na Stock Car vai alavancar a chegada de novos patrocinadores e investidores, em especial os fornecedores dessas fábricas. Esse é o modelo que funciona muito bem na Argentina e em vários outros países.”

4 Comentários

  1. Repetindo o que estava postando , mas algo deu errado ……, estava escrevendo que será fantástico que a Toyota como fábrica entre na Stock Car em 2020 ……, a pergunta que tentei fazer era que motor que ela usará e de que modelo de auto Toyota e’ ….???? Será um V6 ou V8 ….???? E que cilindrada terá ….??? Em ganhando alguma corrida no dia seguinte comprarei um auto exatamente igual ao que correu …!!!!

    • Grande Chico,

      Prazer enorme saber que você prestigia este espaço.

      Tal qual nos Estados Unidos, o berço da categoria Stock Car, atualmente os carros tem pouca ou nenhuma semelhança com os carros da linha de produção. Será legal ve-lo de volta às pistas a bordo de um carro vencedor da categoria…

      Abraço e boas festas,

      WG

  2. A mudança na fórmula da categoria será bem-vinda. Categorias monomarcas são sempre muito equilibradas, mas não podem ser a principal categoria de nenhum país, muito menos do Brasil. Há diversas maneiras de equilibrar os desempenhos entre marcas diferentes. Tomara que o escândalo que explodiu na semana da prova de encerramento não afete os patrocínios num momento tão delicado para a categoria.

    • Svitras, obrigado por sua visita.

      A chegada da Toyota à Stock Car brasileira vai alavancar novos negócios para as equipes e todo o sistema que funciona em torno da categoria. Certamente mais consistência nas decisões tomadas pela CBA ajudarão, e muito, a realizar o potencial dessa oportunidade.

      Abraços e boas festas.

      WG

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.