Conheça De Ferran por quem conhece Gil

Amândio Ferreira conta em vídeo quem é  o novo chefe da McLaren

Conhecido nas pistas como Gigante, Amândio Ferreira tem um extenso currículo nas pistas como piloto e como preparador: nos anos 1970/80 disputou e se destacou nas temporadas mais competitivas das categorias Divisão 3 e F-Super Vê, onde inovou com um carro pintado tal qual o lay out da Ligier da época. Mais, iniciou uma dinastia que segue firme nas pistas: a equipe Full Time é comandada pelo sobrinho Miguel e o filho Sérgio, engenheiro mecânico, é seu braço direito na oficina da rua Miguel Calfat, no bairro paulistano de Santo Amaro.

Amãndio Ferreira, o Gigante: amigo de Gil de Ferran desde 1985 (Beepress)

A ligação entre ambos foi consolidada coma conquista do Campeonato Brasileiro de F-Ford de 1987, resultado que selou a decisão de Gil em abandonar o terceiro ano de engenharia mecânica no Instituto Mauá e tentar a sorte na Inglaterra. A distância não afetou a ligação profissional entre ambos: pelo contrário, desde então “Gilberto”e  “Português” formam uma parceria indissolúvel. Nesta entrevista exclusiva Amândio Ferreira conta, em primeira pessoa, quem é e como é trabalhar com Gil de Ferran. Mais, revela que há mais de 10 anos o novo diretor esportivo da McLaren sonha em trabalhar com Fernando Alonso.

Conhecido nas pistas como Gigante, Amândio Ferreira tem um extenso currículo como piloto e como preparador: nos anos 1970/80 se destacou nas categorias Divisão 3 e F-Super Vê, onde inovou ao construir um Polar especial para José Luis Pimenta, carro que era facilmente identificado pela pintura inspirada nos Ligier de F-1 da época.

Pioneiro da dinastia Ferreira nas pistas, Gigante divide a oficina da rua Miguel Calfat com o filho e Sérgio, engenheiro mecânico de mão cheia, e se emociona com o trabalho do sobrinho Maurício, líder da escuderia Full Time, da Stock Car.

Um lado pouco conhecido de Gigante é sua ligação com Gil de Ferran, que esta semana assumiu o cargo de Diretor Esportivo da McLaren. A ligação entre ambos foi consolidada com a conquista do Campeonato Brasileiro de F-Ford de 1987, resultado que selou a decisão de Gil em abandonar o terceiro ano de engenharia mecânica no Instituto Mauá e tentar a sorte na Inglaterra.

A distância não afetou a ligação profissional entre ambos: pelo contrário, desde então “Gilberto” e  “Português” formam uma parceria indissolúvel. Nesta entrevista exclusiva Amândio Ferreira ele revela quem é e como é trabalhar Gil de Ferran e que anos atrás ele tentou contratar Fernando Alonso para a equipe Honda de Fórmula 1.

1 Comentário

  1. Um grande abraço ao Amândio, levava os doginhos polara nos anos 70 para regulagem do carburador na sua oficina quando era na Brás Cardoso. Saia com ele para testar, guiava muito. Ele falava assim: vamo dar um cacete nesse carro, precisa descarbonizar. Saudades desses tempos.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.