Berlinette reaparece em Genève

Novo Alpine A110 tem

inspiração no Interlagos

 

Modelo será lançado

no Salão de Genebra

 

Preço em torno de €60,000

Uma das marcas mais representativas dos carros esporte das décadas de 1960, a Alpine foi recriada nos últimos anos como forma de a Renault reconquistar espaço em um nicho de mercado onde estava praticamente sumida, apesar de fabricar vários modelos com apelo de desempenho e esportividade. A grife fundada por Jean Rédélé em 1955 consolidou-se como sonho de consumo de muitos jovens brasileiros em meados dos anos 1960 e é hoje objeto de desejo de colecionadores através do Interlagos, como o modelo A-108 foi batizado pela Willys, que fabricou o modelo sob licença em um galpão na rua Barão de Ladário, no bairro paulistano do Brás.

A lateral do New Alpine A110 lembra bastante o modelo A108 fabricado no Brasil (Alpine)

O novo modelo lembra em tudo a versão “Berlinette”, que foi a mais vendida e a que conquistou inúmeras vitórias em corridas no Brasil e no Uruguai, a maioria delas sob o comando de Bird Clemente. Além dele, o mercado brasileiro também conheceu as versões conversível e cupê, a mais rara dos três modelos comercializados.

O modelo que ilustra a capa da extinta revista Automóveis Antigos pertence a um colecionador mineiro (Wagner Gonzalez)

Preços para o novo Alpine A110 vão variar entre €55.000 e €60.000 e a carroceria será oferecida em apenas três cores: Azul Alpine, Branco Solar e Preto Profundo. Toda a produção de de 1.955 unidades – número adotado para homenagear o ano de fundação da marca -, será distribuída inicialmente nos revendedores da Renault na Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Itália, Luxemburgo, Polônia, Portugal, Reino Unido, Suécia e Suíça. O único país fora da Europa que deverá receber o novo Alpine A110 é o Japão.

No Brasil as poucas unidades sobreviventes dos Willys Interlagos têm alcançado preços cada vez mais altos, mas atualmente é possível reconstruir um a partir de peças novas e usando mecânica alternativa.

O ex-motociclista Almir Donato, criador do esportivo Aldee, produz carrocerias moldadas em uma Berlineta Willys original. Denísio Casarini, empresário e ex-piloto de motos, é apaixonado por modelos especiais e com as peças fabricadas por Donato desenvolveu uma réplica equipada com o motor, câmbio e diferencial VW AP.

2 Comentários

  1. Parece que ficou simpático. Não foram divulgadas as medidas do carro ainda, espero que ele não tenha crescido demais, como geralmente acontece nessas recriações. Uma pena que a produção vá ficar restrita apenas a alguns países da Europa. Alem do que, com preço em torno de 60.000 euros, mais os nossos imorais impostos, levariam o carro a valores estratosféricos, para a categoria em que ele se encaixa. Vamos aguardar.

    • SIg. Nardini,

      Buin’anno!

      Também tenho a preocupação com o tamanh anabolizado dessas recriações mais recentes, mais especificamente o Fiat 500 X. Com relação ao custo do New Alpine 110 no Brasil, os valores que andam pedidno pelos Interlagos por aqui, logo logo os preços deixarão as etiquetas de ambos com números equivalentes…rs

Comentários não permitidos.