FW40: um tiro no escuro?

Williams celebra seus 40 anos em clima de esconde-esconde
Comunicado da equipe repete o que todos já falaram
Fotos escondem detalhes

Apesar do esforço perene do seu pessoal de comunicação, a Williams jamais primou por ser a equipe mais eficiente nessa área. A apresentação do FW40, hoje, em Grove (sede da equipe) confirmou isso: as fotos que ilustram o modelo que celebra quatro décadas de história da escuderia fundada por Sir Frank Williams escondem os detalhes mais importantes de um regulamento onde a aerodinâmica será um dos itens mais pesquisados durante a temporada. O texto do comunicado não menciona qualquer ideia ou proposta que tenha determinado o conceito no recém nascido monoposto; repete que os carros serão mais largos, que as cargas aerodinâmica serão maiores e que a unidade de potência e seus agregados permanecem praticamente os mesmos do ano passado. Se isso pode ser considerado inédito, fica o registro: os pneus mais largos provocarão mais turbulência e, consequentemente, a velocidade máxima poderá ser reduzida.

 

Lateral do FW40-Mercedes (Williams)

Proposital? Bem possível. Disfarce? Bem provável, pois o modelo que Felipe Massa e Lance Stroll vão pilotar este ano foi considerado o mais conservador em termos de conceito entre os sete monopostos já conhecidos até agora, pela ordem: Sauber C36 Ferrari, Renault RS17, Force India VJM10 Mercedes, AMG Mercedes W08, McLaren MCL32 Honda e Ferrari SF70H. Dado o tempo que a equipe dedicou a pensar sobre qual seria o conceito mais funcional para o novo regulamento deste ano – que permite pneus mais largos, asas dianteira e traseira de maiores dimensões e um carro maior -, chega a ser decepcionante conhecer um FW40 tão insosso. Dada a fama de hábil negociante que acompanha Frank Williams, transferida parcialmente à filha Claire, agora é esperar pelos testes de Barcelona, a partir de quarta-feira para descobrir se há alguma carta escondida na manga.

Felipe Massa testa o novo FW40, quarta-feira, em Barcelona (Williams)

2 Comentários

  1. O modelo da Williams pode ser ainda mais decepcionante se lembrarmos que a equipe praticamente abandonou o campeonato em 2016 para se dedicar no projeto do novo carro para este ano. Vamos aguardar para ver se eles estão escondendo algum “coelho na cartola”.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.