F-1 Hungria: deu Ferrari…

Ferrari armou dobradinha para favorecer Vettel no campeonato (Ferrari)

Vettel vence em corrida de equipes
Alonso fica em sexto
Crise na Red Bull

Sebastian Vettel venceu o GP da Hungria, prova que entrará para a história como uma das maiores demonstrações de resultados conquistados por decisões tomadas nos boxes. Fernando Alonso soube aproveitar as características de Hungaroring,e terminou em sexto lugar, melhor resultado da McLaren desde o GP da Hungria de 2015, quando o espanhol foi quinto colocado, sempre explorando as caraterísticas da pista, que privilegiam equilíbrio de chassi ante a potiencia do motor. Daniel Ricciardo, vencedor da corrida de 2016, foi alijado da prova logo na primeira volta após ser tocado por Max Verstappen e não escondeu sua decepção com a atitude do holandês. Crise à vista na equipe Red Bull.

Durante as 70 voltas da prova não faltaram atitudes que denunciaram o jogo de equipes, particularmente Ferrari e Mercedes. A Scuderia foi mais discreta e explorou a troca obrigatória de pneus para ajudar Vettel a recuperar a liderança perdida para Räikkönen durante a janela de pit stops. Já a Mercedes ordenou Bottas a dar passagem a Hamilton e deixou claro que o inglês teria cinco voltas para superar Räikkönen e tentar atacar o líder Vettel. Como isso não aconteceu, Bottas recebeu a posição de volta na última volta. Bons tempos em que as disputas eram mais emocionais e menos racionais… Artificialmente os quatro primeiro classificados terminaram na mesma ordem de largada.

No campeonato Vettel agora tem 202 pontos, 14 a mais que Hamilton, cujo horizonte se mostra mais claro à Mercedes do que para a Ferrari: as próximas duas corridas serão disputadas em traçados com retas longas, o que dá vantagem para o time alemão. Apesar das férias “oficiais” da categoria nenhuma equipe vai descansar muito: terça e quarta feiras acontecem treinos livres em Hungaroring. A Ferrari, em particular, vai além e buscará eliminar a deficiência de potência que a separa da Mercedes. Algo muito importante para quebrar um tabu que existe desde 2004, o último ano em que o vencedor do GP da Hungria tornou-se campeão mundial. Não custa lembrar que os envolvidos nessa proeza foram Michael Schumacher e a própria Ferrari.

Siga-nos no Twitter

Resultado da prova

1) Sebastian Vettel (Alemanha), Ferrari SF70H, 70 voltas em 1h39’46″713
2) Kimi Räikkönen (Finlândia), Ferrari SF70H, a 0″908
3) Valtteri Bottas (Finlândia), AMG-Mercedes W08, a 12″462
4) Lewis Hamilton (Grã-Bretanha), AMG-Mercedes W08, a 12″885
5) Max Verstappen (Holanda), Red Bull RB13-Tag Heuer, a 13″276
6) Fernando Alonso (Espanha), McLaren MCL32-Honda, a 1’11″223
8) Carlos Sainz Jr (Espanha), Toro Rosso STR12-Renault, a 1 volta
8) Sérgio Pérez (México), Force India VJ10-Mercedes
9) Estebán Ocón (França), Force India VJ10-Mercedes
10) Stoffel Vandoorne (Bélgica), McLaren MCL32-Honda

Posições no campeonato

1) Sebastian Vettel (Alemanha), 202 pontos
2) Lewis Hamilton (Grã-Bretanha), 188
3) Valtteri Bottas (Finlândia), 169
4) Daniel Ricciardo (Austrália), 117
5) Kimi Räikkönen (Finlândia), 116
6) Max Verstappen (Holanda), 67
7) Sérgio Pérez (México), 56
8) Estebán Ocón (França),45
9) Carlos Sainz Jr (Espanha), 35
10) Nico Hulkenberg (Alemanha), 26

Próxima corrida: GP da Bélgica, Spa, dia 27 de agosto

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*