F1-Hungria: Primeira fila da Ferrari

(Ferrari)

Vettel é pole em circuito marcado por surpresas
Hamilton é quarto e larga na segunda fila
Di Resta no lugar de Massa

Lá se foi o jejum de 13 anos desde que a Ferrari ocupou toda a primeira fila do grid para o GP da Hungria. Hoje Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen repetiram a dobradinha registrada por Rubens Barrichello e Michael Schumacher em 2004, deixando para a dupla da Mercedes a honra sinistra de partir em terceiro e quarto lugares num circuito onde as ultrapassagens são raras e o forte calor do verão local, este ano ainda mais forte, cria ainda maiores dificuldades para pilotos, carros e…pneus. Nos dois dias de treinos foram inúmeras as as saídas de pista e acidentes devido a problemas de aderência. Por motivos outros, supostamente uma infecção intestinal que também afetou um mecânico da Williams, Felipe Massa foi substituído pelo escocês Paul Di Resta, piloto reserva da equipe.

Bottas (E) e Räikkönen já bateram várias vezes na F1. Amanhã largam entre Vettel e Hamilton (Mercedes)

Para a Ferrari o resultado de hoje foi uma verdadeira taça de Tokaj, o vinho de excelência da Hungria, ante o parco resultado obtido há duas semanas nas montanhas da Styria. Uma explicação para isso pode ser o fato de o traçado magiar protagonizar o equilíbrio do chassi em detrimento da potência do motor, ainda hoje o ponto forte da Mercedes. Amanhã saberemos se a bebida procovou alguma ressaca…

Hungaroring, circuito preferido dos torcedores finlandeses (F1.com)

Em um traçado onde a topografia proporciona arquibancadas naturais dignas de Interlagos dos velhos tempos , carros andando juntos pelos 4.381 metros da pista fazem a alegria do público. Na transmissão de TV (09:00, horário de Brasília, TV Globo), será notável o grande número de bandeiras da Finlândia, cujos torcedores tradicionalmente são os estrangeiros em número quase comparável aos dos húngaros.  Outra curiosidade desta etapa do Mundial é que desde a vitória de Schumacher em 2004, nenhum outro piloto ganhou o GP da Hungria e conquistou o título mundial na mesma temporada. As surpresas não param por aí: em 1997 conseguiu quase o impossível ao liderar 62 das 77 voltas da prova a bordo de um pouco competitivo Arrows-Yamaha. Em 1986, no primeiro GP húngaro, Nelson Piquet e Ayrton Senna travaram um duelo memorável que terminou em uma ultrapassagem antológica do primeiro sobre o segundo.

Sexto na classificação, Hulkenberg perdeu cinco posições no grid (Renault)

Os destaques da prova de classificação novamente foram Nico Hullkenberg, sexto mais rápido, e a McLaren, que colocou seus dois pilotos entre os dez primeiros. O piloto alemão, porém, foi penalizado com a perda de cinco posições em função da troca do câmbio do seu carro, o que deixou Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne ocupando a sétima e oitava posições no grid.  Outro que se deu bem com a punição ao piloto da Renault foi seu próprio companheiro de equipe: Jolyon Palmer começa do décimo lugar a corrida que pode definir seu futuro na categoria. Daiil Kvyeat também foi punido com a perda de três posições no grid.

Com Alonso e Vandoorne nos top 10, McLaren começa a sair das trevas (McLaren)

Massa é dúvida

Fosse um texto sobre futebol aqui caberia o chavão “presença de Massa em amistoso depende do departamento médico”. De acordo com uma mensagem postada pela equipe nas redes sociais, na tarde de ontem (sexta, 28), o brasileiro e um mecânico teriam se queixado de dores estomacais. A postagem foi posteriormente removida e em um comunicado oficial divulgado hoje a Williams e o piloto justificaram a ausência do brasileiro por causa de um mal estar. Massa estava escalado para participar dos treinos livres que acontecem terça e quarta-feiras em Hungaroring, mas já avisou que prefere se poupar neste fim de semana para estar cem por cento na próxima etapa do campeonato mundial, dia 27 de agosto, na Bélgica.

Escocês Paul Di Resta substitui Felipe Massa na corrida de amanhã (Willaimas)

Ainda não foi informado quem poderá substituí-lo, mas Paul Di Resta é o nome mais provável. O escocês que já pilotou pela equipe Force India entre 2010 e 2013, desde 2016 é piloto reserva da Williams. Em 58 corridas disputadas na F1 seus melhores resultados foram quartos lugares obtidos nos GPs do Bahrain (2013) e China (2012). Muito ligado à Mercedes, ele foi campeão do DTM em 2010 pilotando um modelo Classe C.

Jos Verstappen lidera o ataque da Red Bull em pista de raras ultrapassagens (Getty Images/RBCP)

Grid de largada – Siga-nos no Twitter

1) Sebastian Vettel (Alemanha), Ferrari SF70H, 1’16″276
2) Kimi Räikkönen (Finlândia), Ferrari SF70H, 1’16″444s
3) Valtteri Bottas (Finlândia), AMG-Mercedes W08, 1m 16.530s
4) Lewis Hamilton (Grã-Bretanha), AMG-Mercedes W08, 1’16″707
5) Max Verstappen (Holanda), Red Bull RB13-Tag Heuer, 1’16″797
6) Daniel Ricciardo (Austrália), Red Bull RB13-Tag Heuer, 1’16″818
7) Fernando Alonso (Espanha), McLaren MCL32-Honda, 1’17″549
8) Stoffel Vandoorne (Bélgica), McLaren MCL32-Honda, 1’17″894
9) Carlos Sainz Jr (Espanha), Toro Rosso STR12-Renault, 1’18″912
10) Jolyon Palmer (Grã-Bretanha), Renault RS17, 1’18″415
11) Estebán Ocón (França), Force India VJ10-Mercedes, 1’18″495
12) Nico Hulkenberg (Alemanha), Renault RS 17, 1’17″468 (*)
13) Sérgio Pérez (México), Force India VJ10-Mercedes, 1’18″639
14) Romain Grosjean (França), Haas VF17-Ferrari, 1’18″771
15) Kevin Magnussen (Dinamarca), Haas VF17-Ferrari, 1’19″095
16)Daniil Kvyat (Rússia), Toro Rosso STR12-Renault. 1’18″538 (**)
17) Lance Stroll (Canadá), Williams FW40-Mercedes, 1’19″102
18) Pascal Wehrlein (Alemanha), Sauber C36-Ferrari, 1’19″839
19) Paul Di Resta (Grã-Breanha), Williams FW40-Mercedes, 1’19″868
20) Marcus Ericsson (Suécia), Sauber C36-Ferrari, 1’19″972

(*) Perdeu cinco posições por troca da caixa de câmbio.
(**) Perdeu três posições por ter atrapalhado Lance Stroll na prova de classificação.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*